PAÇO DO LUMIAR: Partido Progressista (PP) encolhe e poderá perder uma vaga na câmara de vereadores

Vereadores Leonardo Bruno e Fernando Muniz ambos (PP), com fortes chances de serem reconduzidos à Câmara Municipal Luminense

Seguimos com nossa análise sobre a composição partidária no intuito de fornecer nossa opinião a cerca da quantidade de vagas que o partido poderá alcançar nas eleições de 2020. O partido em questão a ser abordado nesta edição será o Partido Progressista (PP).

O Atual Presidente do partido é o Sr. Marcos Muniz, irmão gêmeo (idêntico), do Ver. Fernando Muniz (PP) que é o Presidente da Câmara Municipal de Paço do Lumiar. Com a articulação do vereador e bom trânsito junto ao governo Paula Azevedo (PCdoB), parece que fez um bom trabalho juntamente com seu irmão gêmeo e conseguiu aglutinar mais dois vereadores de mandato no respectivo partido, são eles: Leonardo Bruno (Ex-PPS atual Cidadania), e Miguel Ângelo (Ex-PSC).

Vereador Miguel Ângelo (PP), forte candidato a perder o “bandeco”

Entretanto, mesmo com o partido cheio, com 29 candidatos a vereadores, conseguiram aglutinar o máximo de “buchas” no sentido de se manterem na câmara municipal, porém, mesmo com o partido repleto de candidatos, é pouco provável que consigam o quociente eleitoral para fazerem as três vagas e assim garantir a reeleição dos três vereadores que compõem o partido. Na minha humilde opinião, acredito que faça o quociente eleitoral para garantir apenas duas vagas, sendo assim, os favoritos a voltarem à Câmara Municipal são os vereadores, Fernando Muniz (PP) e Leonardo Bruno (PP), já Miguel Ângelo (PP) poderá perder o “bandeco” nesta composição que dificilmente fará 3, aliás, faz dois de maneira bem apertada…

Entre os “buchas” (famosos candidatos sem expressão que disputam as eleições apenas para ajudar o partido a atingir o quociente eleitoral) temos um candidato que foi bem votado nas eleições de 2016, o nome dele é Toinho Abreu, eleição passada estava em evidência e foi muito ajudado pela gestão do Ex-prefeito, policial Josemar Sobreiro, agora, está sem espaço, apagado e sem articulação, seria um bom nome para surpreender os vereadores de mandato nessa composição, porém, tirar mais votos que os atuais mandatários é na certeza improvável. Portanto, o que seria o “novo” tem fortes chances de “morrer na praia”, lamentável.

Deixe uma resposta