PACO DO LUMIAR: Jovem desaparecido há 15 dias é encontrado na Pindoba e de forma misteriosa desaparece novamente

Momento em que o jovem é encontrado pelos PM’s

O jovem Marcelo Melo Machado, de 24 anos, que tem deficiência mental, está desaparecido há 15 dias. Ele saiu de casa, na Rua 4, casa 24-B, na Gancharia, região do Anjo da Guarda, no dia 6 deste mês e não retornou. Ele trajava bermuda verde, camisa preta e sandália preta com vermelho.

Na segunda-feira (20), a mãe do jovem recebeu vídeo e fotos que mostram o filho na localidade Pindoba, em Paço do Lumiar, sendo levado por uma guarnição da PM, que foi ao local após ser acionada pelo Ciops.

Em uma das imagens, feitas no último dia 9, Marcelo está sentado, encostado em um poste. Em seguida, ele já aparece sendo levado para a viatura, com as mãos amarradas por uma corda. Antes de ser colocado no camburão da viatura, um policial perguntou qual o nome dele, e Marcelo não respondeu.

Segundo a PM, a guarnição foi acionada porque Marcelo estaria tentando adentrar as casas e aparentava estar sob efeito de alguma substância. A mãe diz que isso pode ser a falta de medicamentos controlados que ele toma, pois ele não é usuário de nenhuma substância entorpecente.

Em vez de levar o jovem para uma delegacia da área, onde seria feito o levantamento de toda a situação e tentativa de localizar familiares, os policiais teriam perguntado a um grupo de homens, que bebiam em um bar, se eles conheciam o conheciam. Ao responderem que sim, os PMs teriam deixado Marcelo com esses homens. No dia seguinte, o jovem teria sido visto no Cidade Verde, em Paço do Lumiar.

Na segunda-feira, a mãe e outros familiares estiveram na região da Pindoba, mas moradores apenas disseram que Marcelo foi levado pelos PMs e não sabiam dizer se ele foi deixado com um grupo de homens em um bar.

Nesta terça-feira (21), a mãe irá ao comando do 22º BPM, em Paço do Lumiar, para que seja informado onde a guarnição deixou o jovem e por que não o levou para uma delegacia para que fossem feitas buscas pelos familiares.

 

Deixe uma resposta