MOBILIDADE URBANA: Pádua Nazareno com o olhar “sensível” à acessibilidade

Avenida 8 do Maiobao (APAE)

A associação de Pais e amigos dos excepcionais (APAE) de Paço do Lumiar, possui em sua sede (nas laterais), rampas de acesso para que os cadeirantes possam ter acesso a sede, o que deixou as pessoas intrigadas, foram as respectivas rampas estarem obstruídas, dessa forma, nenhum cadeirante poderá ter acesso às dependências da instituição.

Segundo o IBGE, cerca de 24% da população brasileira tem algum tipo de deficiência. A pesquisa não demonstra a parcela de pessoas com problemas motores, mas certamente essas pessoas vencem desafios todos os dias ao se locomoverem pela cidade. É por isso que, cada vez mais, as áreas urbanas precisam ter opções de acessibilidade.

A referida foto, circula em vários grupos de WhatsApp e gera polêmica e até risos, pois, o que adianta ter a rampa nos quatro cantos da sede se nem uma tem condições de receber as pessoas com necessidades?

Parece ser simples e não ter muita utilidade essas rampas, porém para quem precisa é de suma importância e digo mais, o município de Paco do Lumiar, não tem nenhum plano de acessibilidade que contemple essa parcela da sociedade e o que é pior, não se fala de mobilidade urbana no município e vale ressaltar que nosso município tem uma secretaria que por ironia do destino é chamada de Secretaria de Mobilidade Urbana.

Vale destacar que, muito embora “mobilidade” e “acessibilidade” sejam conceitos próximos, é importante não confundí-los. Mobilidade é a capacidade de pessoas e cargas se deslocarem nas cidades visando à execução de suas atividades. Já a acessibilidade é possibilidade que as pessoas têm de atingir os destinos desejados. Entretanto, ambas, andam lado a lado e a acessibilidade depende muito da atuação da mobilidade que há duas gestões tem como “cabeça” o secretário mais inerte de todos os tempos, Pádua Nazareno (PDT), mais conhecido como o secretário municipal mais inábil e ultrapassado titular de pasta municipal do Maranhão.

MATÉRIA: Mário Filho

EDIÇÃO: Thiago J

Deixe uma resposta